Preservação do Acervo

O Núcleo de Restauração do ICCA, formado por museólogos, bibliotecários e musicólogos, trabalha continuamente no tratamento do acervo do Instituto, desde a sua fundação, com apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, FAPERJ; do Ministério da Cultura, através da Fundação Biblioteca Nacional; da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio; da UNIRIO, da UERJ; da UNIRIO; do BNDES; da FINEP; das Secretarias Municipal e Estadual de Cultura; e recebe patrocínio de empresas, através das leis de incentivo.

Criar condições para a manipulação desse acervo e possibilitar o acesso de pesquisadores à informação é o objetivo de trabalho da equipe de especialistas.

Além do inventário geral do acervo, já foram tratados cerca de 25.000 discos, com higienização e recuperação dos suportes, conservação e reprodução das capas e encartes, documentação e copiagem, em bases digitais.

O Projeto de Preservação e Organização do Acervo ICCA e, em especial, o do seu Acervo Fonográfico, pauta-se, para além das intervenções diretas de preservação e de descrição das unidades documentais, pela busca e identificação de metodologia técnico-científica que garanta a propriedade do tratamento aplicado, para a pesquisa dos materiais, para as técnicas de conservação, para a concepção e produção de planilhas para a descrição arquivística dentro da norma ISAD(G) – Norma Internacional Geral para Descrição Arquivística, na sigla em inglês (esta norma internacional não apresenta exemplos nem campos próprios para a descrição de acervos sonoros) – como para a concepção do arranjo físico e da base de dados de modo a proporcionar acesso seguro e eficiente.

Tratamento e Acondicionamento

  1. Higienização com jato de ar para retirada de sujidades dos sulcos e preparação para o banho aquoso. Higienização dos discos com banho em água e detergente neutro e específico para tal para a remoção de sujidades mais resistentes. Secagem dos discos, pós banho, com jatos de ar.
  2. Conservação das capas e encartes com a consolidação do suporte. Restauração das capas e encartes muito deteriorados. Testes constantes para observar a manutenção da qualidade dos materiais e produtos aplicados. Acondicionamento individual das capas em envelopes externos de polipropileno. Acondicionamento dos discos em envelopes de fibras de polietileno de alta densidade, neutro e quimicamente estável. Acondicionamento definitivo dos discos tratados em caixas plásticas próprias para tal em sala de reserva técnica.
    Os tratamentos dos discos de acetato e goma-laca, bem como todo o conjunto documental sobre papel, fotográfico etc. fazem parte da segunda etapa do projeto, ainda a ser desenvolvida


Processamento da Informação

Organização e arranjo da série “Fonográficos”. Concepção e formulação das planilhas de descrição arquivística ISAD(G). Planilhamento das unidades documentais em uma planilha arquivística com 30 campos, inclusive com o título de cada uma das músicas/faixas dos discos. Formulação de um banco de dados eletrônico-digital para a produção de instrumentos de busca e pesquisa, com indexação estabelecida, via internet. Digitalização sonora dos fonogramas (músicas) e fotográfica das capas dos discos.

As metodologias aplicadas baseiam-se nas referências literárias oferecidas pela Biblioteca Nacional do Canadá, pelo National Media Laboratory , dos EUA e pelo Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos. A equipe que desenvolve e executa o projeto é composta por um arquivista/conservador e professor universitário, por arquivistas e técnicos especialistas na área e por alunos/estagiários, todos oriundos da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO