Grassi e a FUNARTE

Grassi e a FUNARTE

Publicado em 12/03/2012 no Jornal O Dia

Há organismos públicos que funcionam mal. Outros – eu diria mesmo uma quantidade inferior – que são veementes exceções à regra. É o caso da FUNARTE, um dos braços executivos do Ministério da Cultura, agora presidida pelo ator Antonio Grassi, uma figura muito querida em nosso meio artístico. Pois o Grassi se apaixona por ideias, de preferência aquelas que irradiam de dentro para fora.

Agora mesmo estão por sair, entre tantos projetos apreciáveis da Fundação, livros de payday 2 wiki referencia. payday loans Por um deles tenho carinho especial: MPB – A História de Um Século.

Lançado em 1998 na famosa coleção “História visual das artes no Brasil”, o livro original esgotou-se em menos de 3 meses, quando editado há catorze anos.

Hoje uma preciosidade, disputada payday loans online por colecionadores do mundo inteiro, a obra está sendo editada nesses dias, revisada e ampliada, inclusive com nova capa. A FUNARTE, em comum acordo com o payday loans direct lender Instituto Cultural Cravo Albin, agregou às línguas originais da primeira edição (português, inglês e espanhol), mais o francês. O livro, a par do prefácio da edição inicial de João Máximo, conta também com novo prefácio de Paulo Coelho, além de texto introdutório do próprio Antonio Grassi.

“MPB – A História de Um Século”, agora em quatro línguas, é um trabalho de sabor internacional sobre a música popular do Brasil e está dividido em online payday loans duas partes: na primeira condensam-se quatro capítulos que gravitam desde o começo, ou seja, as origens da MPB, até o final do século XX. Aqui se propõe toda uma evolução direct lender payday loans rítmico-literária através de um natural e sedutor processo miscigênico, sustentação da MPB e da própria identidade nacional. O livro passa por década a década e ainda perfila não só nomes fundamentais, como também alinha direct payday lenders gêneros, modismos e movimentos de essência que fazem o amplo painel da MPB payday loans las vegas de sempre.

Na segunda parte, o “MPB – A História de Um Século” mostra em rigorosa cronologia quase quinhentas imagens que exibem os mais importantes vultos da canção popular do Brasil, desde Chiquinha Gonzaga (anos 10), online payday loan ou Ary Barroso e Carmem Miranda (anos 30), até o Cazuza (anos 80) ou Marisa Monte (anos 90). Um livro que vale a pena ser republicado para uma nova geração.

Ricardo Cravo Albin Jornalista http://paydayloansusca.com/ e Escritor